Meu Blog

Aqui trocamos ideias e experiências sobre saúde mental, física e emocional.

Para largar o vício do cigarro o acompanhamento psicológico é essencial

31 de maio – Dia Mundial Sem Tabaco. Fumar era visto como uma questão de status, já não é mais assim. Vamos conversar sobre o cigarro e os seus efeitos?

Fumar realmente era visto antigamente como uma questão de status. As pessoas se reuniam com o objetivo de fumar e conversar e isso era um hábito bem visto pela sociedade. Hoje, quem acende um cigarro recebe, no mínimo, ‘olhares atravessados’ por parte de quem estiver perto. As justificativas antifumo têm crescido muito nos últimos tempos. Começou com fotos chocantes atrás dos maços e campanhas na mídia e posteriormente, a conscientização tomou rumos mais enfáticos: a proibição em locais fechados e até alguns cartazes com frases como: ‘este ambiente é saudável, aqui não se fuma’.

Programa Nacional de Controle do Tabagismo

Desde o final da década de 1980, sob a ótica da promoção da saúde, a gestão e a governança do controle do tabagismo no Brasil vêm sendo articuladas pelo Ministério da Saúde através do INCA, o que inclui as ações que compõem o Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) e divulgação do dia 31 de maio – Dia Mundial Sem Tabaco. O Programa tem como objetivo reduzir a prevalência de fumantes e a consequente morbimortalidade relacionada ao consumo de derivados do tabaco, seguindo um modelo no qual ações educativas, de comunicação, de atenção à saúde, associadas às medidas legislativas e econômicas, se potencializam para prevenir a iniciação do tabagismo, promover a cessação de fumar e proteger a população da exposição à fumaça ambiental do tabaco.

Segregador

O cigarro que antes era um fator de união entre as pessoas, tem se tornado um segregador, quando os fumantes foram perdendo espaço no meio social. Hoje já não há mais cinzeiros nos lugares e nem incentivo para esse ato. Mesmo com tantos argumentos contra o fumo, é difícil para os fumantes conseguirem se afastar do vício.

tabaco

O cigarro para cada pessoa tem uma função, mas na maioria dos casos é uma prática que alivia a ansiedade. Além da dependência física que o cigarro traz, há a dependência psicológica. O cigarro se torna um aliado contra a ansiedade e com isso gera um prazer, pois momentaneamente, ocorre uma diminuição da tensão psicológica. Contudo, essa diminuição é passageira, fazendo com que os fumantes busquem novamente o cigarro para obter um prazer. É um circuito difícil de sair, pois a pessoa sempre busca um alívio e, temporariamente, consegue.

Cigarro e aumento de peso

Porém, com esse alívio, vêm junto os danos à saúde causados pelo cigarro e é comum quando as pessoas param de fumar, transferir o ato de fumar por comer, por exemplo, provocando um aumento de peso. A pessoa necessita ter outra coisa para aliviar sua ansiedade e acaba utilizando-se da comida para esta finalidade, que também tem o prazer oral.

Acompanhamento psicológico

É fundamental que, quando uma pessoa resolver parar de fumar, ela procure acompanhamento psicológico como forma de ajudar nesse processo e evitar que o cigarro seja trocado por outra coisa, como a comida, por exemplo. Nesse processo psicoterapêutico, o psicólogo irá compreender quais as funções que o cigarro tem na vida daquele sujeito e, a partir disso, quais estratégias podem ser feitas para evitar a transferência por outro hábito, driblar a ansiedade e obter uma melhor qualidade de vida.

Fonte: INCA e DC

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para largar o vício do cigarro o acompanhamento psicológico é essencial

31 de maio – Dia Mundial Sem Tabaco. Fumar era visto como uma questão de status, já não é mais assim. Vamos conversar …

Depressão é tema principal no Dia Mundial da Saúde

O Dia Mundial da Saúde é celebrado anualmente em 7 de abril. Essa data foi criada com o objetivo de conscientizar as pessoas …

O fundo do poço pode ser o seu melhor amigo

O fundo do poço é o melhor local para fazer um retiro existencial. Temos medo do fundo do poço. Temos medo de chegar ao …