Preparo e Avaliação Psicológica

Cirurgia Bariátrica, Obesidade, Transtornos Alimentares, Alcoolismo

avalicao-psicologicaSO

 

A obesidade é definida como acúmulo anormal de gordura corporal consequente do desequilíbrio entre a energia ingerida e a gasta pelo indivíduo, representando risco à saúde, pois aumenta a possibilidade de desenvolvimento de comorbidades, que podem levar o indivíduo à morte. É considerada como uma doença crônica e de origem multifatorial, que abrange a associação de fatores genéticos, orgânicos, ambientais, comportamentais e psicológicos¹. O tratamento clínico baseado em aumento de atividade física combinada a dietas hipocalóricas e uso de medicações muitas vezes é insuficiente para os pacientes obesos grau III, sendo, a cirurgia da obesidade, nesses casos, considerada como a abordagem mais eficaz até o momento.

A cirurgia bariátrica, que, resumidamente, restringe significativamente a quantidade de alimento ingerida combinada à desabsorção de nutrientes, interfere em apenas um dos fatores que causam a obesidade (metabólico). Quanto ao lado psicológico, o paciente deve ser esclarecido pela equipe multidisciplinar a respeito das mudanças pelas quais passará, sendo a principal delas a adaptação aos novos hábitos alimentares pelo resto da vida².

Como a obesidade é uma doença complexa de difícil manejo, a equipe multidisciplinar, composta por cirurgião, endocrinologista, nutricionista e psicólogo/psiquiatra, treinada adequadamente para atender a estes pacientes, se faz necessária. Desde 2000, o Ministério da Saúde, juntamente com Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, definiu diretrizes que tornam obrigatória a avaliação multidisciplinar destes pacientes.

O obeso grau III é uma pessoa doente que tem a vida ameaçada pelo excesso de peso e necessita de tratamento efetivo e, de preferência, em curto prazo; porém, as demais repercussões deste fenômeno também precisam ser abordadas e levadas em consideração. Neste sentido, o suporte psicológico assume um papel relevante, já que a tentativa de controlar cada fator isoladamente pode inviabilizar um bom resultado geral. O papel do psicólogo engloba desde a avaliação pré-operatória como também o manejo clínico, visando o preparo e a adaptação pós-cirúrgica³.

A avaliação psicológica busca investigar o comportamento alimentar do paciente, avaliar sintomas e níveis de ansiedade, depressão e compulsão alimentar que podem interferir na etiologia e na manutenção da obesidade, bem como a compreensão e as expectativas sobre o procedimento cirúrgico. Além disso, a avaliação psicológica visa compreender como foram as tentativas anteriores de perda de peso, a postura da família, por que o paciente quer emagrecer, como a obesidade interfere em sua vida e a o que o paciente atribui a causa de sua obesidade.

Propor estratégias assertivas de controle e mudança, favorecer informações sobre a doença e o tratamento cirúrgico, propiciar espaço para expressão de sentimentos, dúvidas e medos, oferecer apoio psicoterapêutico e psicossocial, promover adesão ao tratamento, pensar sobre como o paciente se adaptará ao novo estilo de vida, verificar o apoio familiar e o quanto o paciente está implicado e ciente a respeito do tratamento e seus desdobramentos fazem parte das intervenções psicológicas.

Assim sendo, o vínculo que é estabelecido entre psicólogo e paciente, de confiança e continência, é de extrema importância no desenrolar do tratamento, porque pode ser determinante para o retorno do paciente, quando o mesmo se deparar com dificuldades ao manejar a nova situação após a cirurgia(4).

Além de tudo o que foi exposto, devemos lembrar que a avaliação psicológica respalda legalmente a realização do procedimento cirúrgico. Temos visto que muitos problemas legais têm surgido principalmente porque alguns cirurgiões realizam cirurgias bariátricas sem a devida avaliação da equipe multidisciplinar. Tal fato pode tornar o procedimento inadequado e ilegal, além de comprometer o resultado do tratamento da obesidade mórbida.

Referências
1
ABESO. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Disponível em: http://www.abeso.org.br.
2
Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. Disponível em: http://www.sbcbm.org.br.
3
E. Ximenes
Cirurgia da obesidade: um enfoque psicológico
Livraria Santos Editora, São Paulo (2009)
4
C. Benedetti
De obeso a magro: a trajetória psicológica
Vetor, São Paulo (2003)

Autores
Alessandra M.B.C. Akaminea(a), Elias Jirjoss Iliasb(b),

a Serviço de Cirurgia Bariátrica da Santa Casa de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
b Departamento de Cirurgia, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil

Para largar o vício do cigarro o acompanhamento psicológico é essencial

31 de maio – Dia Mundial Sem Tabaco. Fumar era visto como uma questão de status, já não é mais assim. Vamos conversar …

Depressão é tema principal no Dia Mundial da Saúde

O Dia Mundial da Saúde é celebrado anualmente em 7 de abril. Essa data foi criada com o objetivo de conscientizar as pessoas …

O fundo do poço pode ser o seu melhor amigo

O fundo do poço é o melhor local para fazer um retiro existencial. Temos medo do fundo do poço. Temos medo de chegar ao …