Cuidados Paliativos

Cuidados Paliativos, Idosos, Doenças Crônico-Degenerativas

cuidados_paliativosSO

 

Os Cuidados Paliativos foram definidos pela Organização Mundial de Saúde em 2002 como uma abordagem ou tratamento que melhora a qualidade de vida de pacientes e familiares diante de doenças que ameacem a continuidade da vida. Para tanto, é necessário avaliar e controlar de forma impecável não somente a dor, mas, todos os sintomas de natureza física, social, emocional e espiritual.

O tratamento em Cuidados Paliativos deve reunir as habilidades de uma equipe multiprofissional para ajudar o paciente a adaptar-se às mudanças de vida impostas pela doença, e promover a reflexão necessária para o enfrentamento desta condição de ameaça à vida para pacientes e familiares.

A Organização Mundial de Saúde desenhou um modelo de intervenção em Cuidados Paliativos onde as ações paliativas têm início já no momento do diagnóstico e o cuidado paliativo se desenvolve de forma conjunta com as terapêuticas capazes de modificar o curso da doença. A paliação ganha expressão e importância para o doente à medida que o tratamento modificador da doença (em busca da cura) perde sua efetividade. Na fase final da vida, os Cuidados Paliativos são imperiosos e perduram no período do luto, de forma individualizada.

As ações incluem medidas terapêuticas para o controle dos sintomas físicos, intervenções psicoterapêuticas e apoio espiritual ao paciente do diagnóstico ao óbito. Para os familiares, as ações se dividem entre apoio social e espiritual e intervenções psicoterapêuticas do diagnóstico ao período do luto. Um programa adequado inclui ainda medidas de sustentação espiritual e de psicoterapia para os profissionais da equipe, além de educação continuada.
A condição ideal para o desenvolvimento de um atendimento satisfatório deve compreender uma rede de ações composta por consultas ambulatoriais, assistência domiciliar e internação em unidade de média complexidade, destinada ao controle de ocorrências clínicas e aos cuidados de final de vida.

Informações sobre a definição de Cuidados Paliativos pela Organização Mundial da Saúde estão no link: http://tinyurl.com/5228js

Os cuidados paliativos estão ao alcance de apenas uma em cada 10 pessoas, conforme constatou a Organização Mundial de Saúde (OMS), em mapeamento inédito apresentado em 2014 no documento “Atlas Global de Cuidados Paliativos no final da vida” (tradução do inglês “Global atlas of palliative care at the end of life”). O material tem parceria do Worldwide Palliative Care Alliance (WPCA). O relatório também revela haver 20 países somente que possuem sistema adequado. O Brasil, não faz parte desse grupo.

Sobre a SBGG: A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) congrega médicos geriatra e os gerontólogos. É filiada à Associação Médica Brasileira (AMB). Abordagens: saúde dos idosos; políticas públicas voltadas aos idosos; envelhecimento saudável; capacidade cognitiva; estudos e/ou indicadores referentes ao impacto do crescente envelhecimento populacional; mal de Parkinson; Alzheimer; riscos da denominada medicina antienvelhecimento; entre outros assuntos ligados à velhice.

Para largar o vício do cigarro o acompanhamento psicológico é essencial

31 de maio – Dia Mundial Sem Tabaco. Fumar era visto como uma questão de status, já não é mais assim. Vamos conversar …

Depressão é tema principal no Dia Mundial da Saúde

O Dia Mundial da Saúde é celebrado anualmente em 7 de abril. Essa data foi criada com o objetivo de conscientizar as pessoas …

O fundo do poço pode ser o seu melhor amigo

O fundo do poço é o melhor local para fazer um retiro existencial. Temos medo do fundo do poço. Temos medo de chegar ao …